Ergo os Olhos

Desfrutar de uma presença de amor
De alguém que sempre estará ali, ao lado
É incomensurável, desmedido
E quando esse alguém se vai?
Significa que amor também se foi
Mas do que a fé de que o momento seria infindável
Vem a trágica certeza de que só o que temos, realmente, é o dia de hoje
E aquele hoje onde você se fazia personificado já não é mais o tocável
É esmaecimento, é dor, é relento, é desespero
O hoje presente é sem sentido
É sem graça, sem cosmo, sem paisagem
Hoje, imenso caminho espaçado nos espera
Eu ergo os olhos ao longe
Mas não consigo fitar-lhe, eles não o alcançam
Você foi mesmo para longe
Atravessou o tempo, o espaço, o universo
E isso atravessou o meu peito, minha saudade, minha vida
Se você não tivesse existido eu não estaria lamentando
Mas existiu…
E fez da minha vida mais flores, mais festa, mais riso
E me contento com o que ficou
Com suas fotos, lembranças, memórias, ecos de felicidade
Hoje está longe de sim, mas não será por muito tempo
Porque um dia o próprio tempo estará em seu mausoléu
Não precisaremos mais de estradas a percorrer
Nem de aviões, barcos, carros, naves
Não haverá interferências  e nem pendências
Apenas o momento exato de viver o eterno

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: